Diminui o investimento social privado no Brasil, indica Censo GIFE, e as doações caem ainda mais

censogife2016O Censo GIFE 2016, lançado recentemente em um evento em São Paulo, indicou que as instituições privadas que atuam filantropicamente – em especial empresas e organizações da sociedade civil ligadas a empresas, famílias e independentes/comunitárias – reduziram o seu investimento social nos últimos anos, totalizando 2 bilhões e 900 milhões de reais em 2016, 19% a menos que a última edição do Censo, de 2014.

Uma pequena parte do investimento social dessas organizações é constituída de doações a organizações da sociedade civil, sendo o restante gasto diretamente por elas. Os números do Censo GIFE 2016 mostram que as doações também caíram, para 21% do total do investimento social, totalizando apenas 594 milhões de reais, frente aos 894 milhões de reais doados em 2014.

Além disso, somente 24% dos investidores sociais informou doar recursos livres que fortalecem a capacidade das organizações da sociedade civil, sem estarem vinculados a um projeto.

O Censo GIFE 2016 indicou que apenas 16% das organizações pesquisadas, de um total de 113 que responderam, são exclusivamente doadoras, o modelo mais comum no mundo todo. No Brasil, porém, predomina a visão de que os investidores sociais devem fazer a gestão e execução do seu próprio investimento social, mesmo que terceirizando com a contratação de organizações da sociedade civil, ao invés de doar.

A edição 2016 do Censo GIFE está bem completa, com muitos mais dados e informações relevantes para que as organizações entendam como pensam as instituições filantrópicas do país, e consigam desenvolver estratégias de captação de recursos mais sintonizadas com os financiadores. Pode ser acessada diretamente no link http://gife.issuelab.org/resource/censo-gife-2016.html. Os dados referentes a doações para organizações da sociedade civil estão nas páginas 146 a 157.

facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedin