Novas medidas do Banco Central deixam de lado as organizações da sociedade civil

O Banco Central do Brasil publicou, no dia 23 de junho, novas medidas de apoio às pequenas e médias empresas, sem a inclusão das organizações da sociedade civil que, apesar de não serem empresas, empregam mais de 2 milhões de pessoas e movimentam mais de 50 bilhões de reais por ano.

As medidas preveem, dentre outras coisas, a liberação de recursos aos bancos para que eles possam oferecer crédito às micro, pequenas e médias empresas, para proporcionar capital de giro. Essa medida levou o nome de “Capital de Giro para Preservação de Empresas” e não prevê a importância da preservação das organizações da sociedade civil – ou ONGs. Os empréstimos previstos pelo governo devem ter prazo mínimo de 3 anos e carência de 6 meses para pagamento.

Como a ABCR vem reforçando, a maior parte das medidas de proteção econômica implementadas pelos governos no país são especificamente voltadas para as empresas, deixando de lado boa parte do setor econômico, cuja geração de valor se dá pela geração de impacto sócio-ambiental, e não do lucro financeiro.

Sobre esse tema, a ABCR realizará a plenária de encerramento do Festival ABCR 2020, com a presença de convidados especiais da ABONG, Fundação Abrinq e GIFE.

Confira as medidas anunciadas pelo Governo Federal acessando aqui.

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedin